O Yosemite National Park, oásis dos aventureiros é também ideal para apreciar uma bela paisagem! Quando a gente pensa em visitar a Califórnia, logo vem à cabeça aquele estilo de vida praiano com muito sol e belas paisagens por todo o seu litoral. Mas esse estado norte-americano é bem eclético e atende a todos os gostos.

Yosemite-7
Vista no Yosemite Valley. Foto: Sandra Scigliano

Pensando exatamente em um programa diferente. Fui com minha família conhecer o Parque Nacional de Yosemite. Ele fica bem no interior, pertinho do estado de Nevada e aproximadamente quatro horas de San Francisco.

Não sabia muito o que encontraria, apesar de ter visto algumas fotos (fantásticas) pelo Google! Resumidamente, o Yosemite é lindo! Com uma paisagem de tirar o fôlego. Ele é cuidadosamente preservado e super bem organizado. Também bastante acessível, já que é praticamente todo transitável por carro. Com algumas ruas apenas disponível para o ônibus do parque (gratuito).

O Yosemite é muito grande, aproximadamente 3 mil km2, possui mais de 400 parques. É bastante conhecido por suas inúmeras trilhas, para todos os gostos, de todos os níveis de dificuldade possíveis. Se você gosta de uma boa caminhada, de acampar ou ainda de um passeio de bike pelas montanhas não pode deixar de visitá-lo. No parque ainda é possível fazer rafting, pesca e, também, escalada. Ou seja, existe diversão para todo mundo, só é necessário um bom planejamento.

Dependendo da época do ano algumas estradas fecham, as ruas se enchem de neve, é preciso usar correntes nas rodas do carro pra se locomover, entre outras particularidades. Todas essas informações (e muitas outras) podem ser encontradas no site oficial do parque. O Yosemite vai completar 100 anos no próximo dia 25 de agosto e, por conta disso, terá uma série de eventos comemorativos, que podem ser conferidos também pelo site.

Onde se hospedar

O Yosemite possui cinco entradas: Hetch Hetchy, Big Oak Flat, South Entrance, Tioga Pass e a que utilizamos Arch Rock Entrance. Esta última é a que está bem pertinho do Vale, onde ficam as “atrações” mais básicas e ideais para serem feitas com as crianças (nosso caso), que não conseguem fazer trilhas longas, nem andar por muito tempo. No Vale está localizado um dos centros de visitantes, onde é possível obter todas as informações e saber das exposições e eventos que estão acontecendo no momento.

Yosemite-3
Arch Rock Entrance – Pedras formando um túnel na entrada do parque. Foto: Sandra Scigliano

O parque cobra uma entrada de US$ 30 para carros de passeio, válida por sete dias, durante os meses de abril a outubro. De novembro a março o valor é U$ 25. Nesta região do Vale existem somente dois hotéis (Yosemite Valley Lodge e o The Magestic Yosemite Hotel). Segundo informações que tivemos, quem quiser ficar em um deles por mais de uma noite precisa reservar com pelo menos seis meses de antecedência.

Nós resolvemos ir para o Yosemite dois dias antes, obviamente não existia nenhuma vaga para o período de três noites. Nos hospedamos em um dos vários lodges localizados fora do parque, em El Portal. Uma cidadezinha às margens do Rio Merced, que corta todo o parque e é bem próxima da entrada para o Vale. O único hotel onde encontramos vaga foi o Cedar Lodge, que fica a 13 km da entrada. Uma distância bem fácil de percorrer, em boa estrada. Quanto ao hotel: ele é bem antigo, mas atende as necessidades básicas. Está longe de ser excelente, porém é limpo e confortável.

O Yosemite

Como já comentei, o Yosemite oferece vários tipos de atividades. Como não fazemos trilhas e estávamos com duas crianças optamos primeiramente pelo básico e o mais visitado, o Yosemite Valley. Um dos mapas, inclusive, coloca o vale e suas atrações como “Yosemite Basics”.

Primeiro dia

Logo na entrada uma surpresa maravilhosa: uma cachoeira linda, que mais parecia um véu de noiva! Suas águas branquinhas vinham lá de cima, de uma montanha bem alta mesmo, pelo meio da rocha, formando uma bela paisagem. Estacionamos o carro por perto e fizemos uma caminhada de menos de 1km para vê-la mais próxima. É no vale que é possível ver as mais famosas cachoeiras e paisagens do Yosemite, incluindo a famosa Half Dome (montanha rochosa, que parece que foi cortada ao meio) de diversos ângulos

Yosemite-4
Cachoeira no Yosemite Valley. Foto: Sandra Scigliano

Todo o vale é percorrido pelo Rio Merced, oferecendo paisagens lindas de se ver. O Vale pode ser todo percorrido de carro, com algumas paradas para chegar às trilhas. Por aqui elas são mais fáceis, já que estamos na parte “baixa” do parque e suas extensões variam de 800 metros até 22,5 km.

Outro passeio que fizemos pelo Vale foi até o Mirror Lake, uma caminhada de 1,6 km, que beira o rio. É bem agradável e as crianças se sentem na selva, subindo nos galhos, pulando as pedras, só diversão.

Yosemite-18
Mirror Lake. Foto: Sandra Scigliano

O Mirror Lake é um lago sazonal, como eles chamam. Ele fica cheio durante o inverno e seca no verão! É famoso porque reflete a Half Dome e outras montanhas dos arredores, formando um espelho, como o próprio nome diz. Visitamos o parque no finalzinho da primavera, o lago ainda tinha um certo volume de água, como é possível ver na foto.

Yosemite-21
Mirror lake e seus reflexos! Foto: Sandra Scigliano

Uma caminhada onde as crianças também se divertem muito é a curta trilha para o Nature Center of Happy Isle, duas pequenas ilhas formadas pelo Rio Merced.

Yosemite-5
Rafa e Laura curtindo o passeio!! Foto: Sandra Scigliano

Segundo dia

No dia seguinte fomos ao Glacier Point, que fica a aproximadamente uma hora de carro e a 1000 metros de altura, partindo da entrada do parque. A vista lá de cima é de tirar o fôlego: uma imensidão de rochas (incluindo a Half Dome, claro), vegetação e cachoeiras, formando um cenário de filme. É realmente muito bonito e ficamos lá por um bom tempo. Admirando o cenário e percorrendo os vários pontos de observação para não deixar de ver nenhum pedacinho daquele “quadro”!

Yosemite-14
Vista maravilhosa do Glacier Point. Foto: Sandra Scigliano

Ah, no caminho para o Glacier Point encontramos um bebê urso, no meio da floresta. Se tornou uma atração, em poucos minutos a estrada já estava com vários carros estacionados pelo acostamento. Todos parados para ver o urso de perto!

Yosemite-10
Bebê urso!! Vontade de dar um abraço! Foto: Sandra Scigliano

Próximo passeio: conhecer as sequoias, as árvores gigantes. O local ideal no Yosemite para vê-las é em Mariposa Grove, onde existem mais de 500 delas. Mas, infelizmente esta parte do parque está fechada desde julho de 2015. Está passando por uma restauração que irá durar aproximadamente dois anos, segundo informações do próprio parque. Mas para não frustrar os visitantes, existe outro local com as sequoias. O Tuolumne Grove, que fica bem próximo ao Vale e de acesso fácil.

Yosemite-23
Túnel no velho tronco da Sequoia. Foto: Sandra Scigliano

Para chegar às sequoias o caminho é pavimentado e é preciso andar 1,8 km de uma íngreme descida. O parque, apesar de pequeno, é bem curioso. As sequoias são realmente muito, muito grandes, com um tronco muito, muito grosso. Com uma delas, inclusive, foi feita um túnel; outra pode ser “escalada”, já que está com todo o seu tronco caído. Muito interessante é olhar a raiz e ver a magnitude de uma sequoia, literalmente aos seus pés. Vale muito o passeio. Difícil foi subir os quase dois quilômetros para voltar para o carro!!

Uma ideia do tamanho da raíz da sequoia. Surpreendente!! Foto: Sandra Scigliano

E assim terminou o nosso passeio pelo Yosemite. Vimos muitas coisas lindas, mas saímos com a sensação de que existe uma infinidade de outras aventuras a se fazer. Qualquer hora a gente volta, talvez no inverno, para conhecer o parque coberto de neve, em uma estação totalmente oposta à que fomos.

RESERVE SEU HOTEL NO BOOKING.COM

COMPRE SEU CHIP E FIQUE CONECTADO EM SUA VIAGEM

ALUGUEL DE CARRO EM 12X SEM JUROS!

VIAJE TRANQUILO! CONTRATE SEU SEGURO VIAGEM!

COMPRE AQUI SEUS INGRESSOS, EVITE FILAS

VIAJE DE TREM PELA EUROPA, COMPRE AQUI

HOTEIS COM AS MELHORES OFERTAS PARA SUA HOSPEDAGEM

COMPARTILHAR
Post anteriorTour de France no Brasil?
Próximo postÔnibus Hop-on Hop-off – Nosso passeio
Sou jornalista e, como a maioria das pessoas nesta profissão, amo escrever. O assunto? Todos! Claro que existem os que tenho maior facilidade ou afinidade. Viagens é um deles! Primeiro porque é possível relembrar cada passeio, cada emoção… E segundo porque dá vontade de viajar mais e mais! Em família, em casal, em turma… Viajar é uma experiência tão particular de cada um, mas emocionante pra todos. Embarque com o Viagens em Detalhes, assim como eu embarquei…

5 COMENTÁRIOS

  1. Adorei o post e as fotos são maravilhosas, parabéns e continue a postar essas maravilhas! Abraços.

    • Muito Obrigada Villa!! Fico sempre muito feliz com comentários queridos como esse! Nos animam a continuar!!
      Abraços!
      Renata

    • Obrigada!!! Que bom que gostou Renata, fico feliz! Toda semana temos algum post novo no blog! Acompanhe a gente também pelo Facebook e pelo Instagram! Um abraço Renata

  2. Amei Sandra o seu relato e o parque realmente é lindo. Não pare de dar dicas de viagens diferentes. Eu não sabia deste parque e espero poder conhecê-lo quando eu puder visita-los. Beijos para toda a família linda que tem.

Comments are closed.