O inverno na Europa, que coincide com as nossas férias de verão no Brasil, espanta muito turista. É muito mais agradável viajar sob temperaturas quentinhas. Mas algumas cidades “combinam” mais com inverno. Cracóvia, na Polônia, é uma delas.

Fui a Cracóvia duas vezes. A primeira, no auge do inverno. A segunda, no auge do verão. Eu odeio inverno, odeio frio, odeio chuva, odeio dias curtos e odeio vento gelado batendo na cara. Quando fui a Cracóvia pela primeira vez, o tempo estava bem assim. E apesar dele, ou talvez por causa dele, essa viagem foi uma das experiências mais marcantes para mim.

Cracóvia combina com frio. No inverno, o centro histórico é ocupado por feirinhas de Natal, com comidas típicas e artesanatos vendidos na rua. A parte mais turística da cidade fica toda decorada por luzinhas e adereços natalinos. O clima frio também abre o apetite para experimentar o Pierogui – prato tradicional polonês que lembra um ravioli (frito ou cozido) recheado de queijo, repolho ou carne. Ou, quem sabe, uma Zapiekanka – uma “pizza” feita com pão de baguete, coberta por queijos, carnes e molhos. Tanto um como outro são pratos pesados e caem melhor no friozinho.

Pierogui de carne quentinho. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Pierogui recheado de carne. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Chocolate quente sensacional na Cupcake Corner Bakery. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Chocolate quente da Cupcake Corner Bakery. (Foto: Nathalia Tavolieri)

Independentemente da época do ano, Cracóvia é um dos lugares mais interessantes que já visitei do leste europeu. E apesar de ser a cidade mais visitada da Polônia, não é abarrotada de turistas.

Foto: Nathalia Tavolieri
O Portal Florianska abre caminho para o centrinho histórico de Cracóvia. (Foto: Nathalia Tavolieri)

O que fazer em Cracóvia

Free walking tour

Faça um free walking tour logo que chegar em Cracóvia. Essa dica vale para quase todo lugar: é uma forma interessante e barata de ter uma primeira impressão da cidade e ainda conhecer outros viajantes – principalmente quem viaja sozinho. É também um bom ponto de partida para organizar o que quer fazer durante sua passagem pela cidade. O free walking tour que fiz na Cracóvia foi um dos mais legais que já participei.

A guia do meu free walking tour em Cracóvia. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A guia do meu free walking tour em Cracóvia. (Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
Teatro Juliusz Slowacki (Foto: Nathalia Tavolieri)
Pinturas vendidas pelas ruas de Cracóvia. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Pinturas vendidas pelas ruas de Cracóvia. (Foto: Nathalia Tavolieri)

PS: Free walking tour é um tipo de excursão turística de graça feita por um guia local. Em algumas horas, o guia apresenta as principais atrações turísticas da cidade e conta curiosidades que, geralmente, não estão nos guias. No final da excursão, cada participante é livre para deixar uma gorjeta com o valor que puder.

(Foto: Nathalia Tavolieri)
Barbakan: parte da fortaleza que defendia Cracóvia na Idade Média. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Centro histórico de Cracóvia antes da Segunda Guerra Mundial. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Centro histórico de Cracóvia antes da Segunda Guerra Mundial. (Foto: Nathalia Tavolieri)

Campos de concentração em Auschwitz

Na minha opinião, conhecer os extintos campos de concentração de Auschwitz-Birkenau é disparadamente o ponto mais importante dessa viagem. Fazer essa visita no inverno é uma experiência à parte. Se faz frio no centro de Cracóvia, nos campos abertos o vento e o frio são muito piores – o que torna mais fácil, e mais dolorido também, imaginar o sofrimento de quem viveu lá. Não que não valha a pena conhecer os campos no verão, mas acredito que no inverno a visita seja ainda mais intensa. Muito provavelmente você vai se sentir mal por algumas horas depois da visita. Faz parte. E vale a pena.

"Arbeit macht frei" (algo como "o trabalho liberta") - frase presente em todos os campos de concentração nazistas. (Foto: Nathalia Tavolieri)
“Arbeit macht frei” (algo como “o trabalho liberta”) – frase presente em todos os campos de concentração nazistas.      (Foto: Nathalia Tavolieri)
IMG_0620
Auschwitz I (Foto:Nathalia Tavolieri)
O imenso Birkenau (Foto: Nathalia Tavolieri)
O imenso Birkenau (Foto: Nathalia Tavolieri)

Praça do Mercado (Rynek Glówny)

Construída em 1257, a Rynek Glówny é a principal praça da cidade e uma das maiores da Europa. Fica no coração do centro histórico de Cracóvia, em Stare Miasto, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Além da Basílica de Santa Maria, há o Sukiennice, um “mercadão” em estilo renascentista, cheio de lojinhas de artesanatos e souvenirs. Ao redor da Praça do Mercado,  você encontra lojinhas, restaurantes e barzinhos charmosos. Também costumam ser lá os pontos de encontro das free walking tours.

(Foto: Nathalia Tavolieri)
Praça do Mercado no inverno. (Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
Praça do Mercado no verão. (Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
A feira de Natal na Praça do Mercado, durante o inverno. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A feira de Natal na Praça do Mercado, durante o inverno. (Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
Bem cheio no verão. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Sukiennice: bem cheio no verão. (Foto: Nathalia Tavolieri)

Basílica de Santa Maria

A Basílica de Santa Maria fica na Praça do Mercado, no centrinho histórico de Cracóvia. Muito bonita por fora e por dentro. Na alta temporada pode ficar muito cheia, o que atrapalhar um pouco quem gosta de contemplar igrejas em silêncio.

(Foto: Nathalia Tavolieri)
A Basílica de Santa Maria em julho. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A Basílica de Santa Maria em dezembro. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A Basílica de Santa Maria em dezembro. (Foto: Nathalia Tavolieri)

Castelo Real de Wawel

O castelo fica em cima de uma colina na beira do rio Vístula. De lá de cima, você tem uma vista linda para a cidade e conhece também a belíssima Catedral de Wawel. O castelo é rodeado por gramadões verdes que dão na beira do rio. No verão, é um lugar muito gostoso para tomar sorvete, ler um livro e descansar. No inverno, fuja da ventania de lá.

 A Catedral de Wawel. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A Catedral de Wawel. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Muita ventania nas margens do rio Vístula. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Muita ventania nas margens do rio Vístula. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Peguei muito frio e chuva quando viajei a Cracóvia pela primeira vez. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Peguei muito frio e chuva quando viajei a Cracóvia pela primeira vez. (Foto: Nathalia Tavolieri)
O Castelo Real de Wawel, às margens do rio Vístula. (Foto: Nathalia Tavolieri)
O Castelo Real de Wawel. (Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)

Fábrica de Schindler

Esse é um dos museus mais legais que já fui sobre a história do nazismo. Fica um pouco afastado da old town de Cracóvia, exatamente onde funcionava a Fábrica de Schindler. Eu já tinha ouvido falar da história de Oskar Schindler meio por cima, mas quando você tem a oportunidade de conhecer a história exatamente onde ela aconteceu, é de arrepiar, de emocionar mesmo. Ele ajudou a salvar centenas de judeus durante o nazismo, contratando-os como funcionários de sua fábrica. Me lembrou a experiência de conhecer a casa da Anne Frank, em Amsterdam. Se você curte história da Segunda Guerra Mundial, não deixe de conhecer a Fábrica de Schindler. Clique aqui para programar sua visita.

Na "Fábrica de Schindler", uma super aula sobre Segunda Guerra Mundial. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Na “Fábrica de Schindler”, uma super aula sobre Segunda Guerra Mundial. (Foto: Nathalia Tavolieri)
"Fábrica de Schindler": excelente museu sobre o nazismo. (Foto: Nathalia Tavolieri)
“Fábrica de Schindler”: excelente museu sobre o nazismo. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A Praça dos Heróis do Gueto num dia bem frio de dezembro. (Foto: Nathalia Tavolieri)
A Praça dos Heróis do Gueto num dia bem frio de dezembro. (Foto: Nathalia Tavolieri)

Bairro judeu

Fiz esse passeio pelo bairro de Kazimierz com o guia do free walking tour. O Kazimierz é hoje uma das partes mais descoladas de Cracóvia. Muito legal também para quem quer aproveitar a vida noturna em Cracóvia. De dia, passe pela Praça dos Heróis do Gueto, decorada por cadeiras de metal em homenagem aos milhares de judeus exterminados durante o nazismo em Cracóvia.  Foi também neste bairro que muitas cenas do filme “A Lista de Schindler”, de Steven Spielberg, foram gravadas. Não deixe de assistir ao filme antes de visitar Cracóvia!

Arte em muro no bairro judeu. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Arte em muro no bairro judeu. (Foto: Nathalia Tavolieri)
Caminho pelo bairro judeu... (Foto: Nathalia Tavolieri)
(Foto: Nathalia Tavolieri)

Onde ficar

Procure uma hospedagem perto da estação de trem e de ônibus, a Krakow Glówny (ao lado de um grande shopping center). Além de facilitar a sua chegada e saída, essa área também fica pertinho do centro histórico. De lá, você consegue conhecer a pé a maioria das atrações turísticas de Cracóvia.

Lembre-se: se você só puder viajar à Europa no inverno e tiver vontade de conhecer um país que fuja um pouco da rota “comum”, não deixe de conhecer a Polônia. Em um final de semana dá para conhecer as principais atrações de Cracóvia. E, se tiver tempo, vá também para a capital Varsóvia. Vale muito a pena.

RESERVE SEU HOTEL NO BOOKING.COM

COMPRE SEU CHIP E FIQUE CONECTADO EM SUA VIAGEM

ALUGUEL DE CARRO EM 12X SEM JUROS!

VIAJE TRANQUILO! CONTRATE SEU SEGURO VIAGEM!

COMPRE AQUI SEUS INGRESSOS, EVITE FILAS

VIAJE DE TREM PELA EUROPA, COMPRE AQUI

HOTEIS COM AS MELHORES OFERTAS PARA SUA HOSPEDAGEM

4 COMENTÁRIOS

  1. Nathi, adorei rever fotos da nossa viagem para Cracóvia! Fiquei muito emocionada!
    Saudades de você e parabéns pelos seus posts… São uma delícia de ler, estou super orgulhosa!
    Beijos!

    • Thaziii, sua LINDA! Obrigada!!!! Cracóvia no friozinho com vc foi um sonho. Só lembranças muito boas! temos que planejar a nossa próxima viagem…vc faz falta, mig!
      Beijinhos

  2. Olá. Qual a melhor maneira de chegar a Cracóvia? Pensei em começar a viagem em Praga e de lá ir para a Cracóvia. A intenção é ir em janeiro. Abraços e parabéns pelo blog.

Deixe uma resposta

Deixe sue comentário
Preencha seu nome