Vou começar com aquela velha máxima, se conselho fosse bom a gente vendia, não dava né!? Então, antes de tudo, minha dica é faça o que o seu coração mandar. Não tem certo nem errado. Eu acho que ninguém está em posição de julgar ninguém e proponho maior união entre as mães.

Partindo daí, listo algumas dicas de viagens com crianças, as que funcionaram pra mim, outras que fui aprendendo aos poucos. Quem sabe algumas delas vão se adequar pra você.

1. Comece deixando a criança participar do planejamento

Fale sobre a viagem ou o passeio com antecedência (não muita dependendo da idade). Mostre fotos dos lugares, diga a ela o que irão fazer o que irão ver.

Eu acredito que despertar a curiosidade é sempre uma estratégia interessante. Nisso já temos um ganho da atenção da criança pra antes e durante a viagem. Além de prepará-la para o desconhecido. É sempre um buraco negro para uma criança pequena ir a um lugar novo.

2. Kit de Entretenimento 

Acho que é quase mais importante do que o kit primeiros socorros. 🙂 Com certeza vai ser mais usado. Separe uma bolsa ou uma parte da mala com os brinquedinhos que a criança mais gosta, deixe ela escolher dentro de uma seleção apropriada ao lugar.

dicas de viagens com crianças
Aqui não tinha muita restrição de espaço, deu pra escolher bastante coisa…Essa malinha Trunki é uma maravilha!

Geralmente a atenção das crianças é bastante flutuante, uma atividade só pode cansar ou não dar ibope na hora. O segredo é variar, mas como o espaço é limitado, eu diria variar com planejamento.

Quando o Gabriel era menor meu ‘kit brinquedos do avião, incluia:

  • Bloco de desenho com giz de cera, um livrinho desses de atividades que você pode comprar no aeroporto e deixá-lo escolher,
  • Gibis,
  • Bonequinhos de super heróis, dos pequenos,
  • 3 carrinhos hot wheels, daqueles que se perder durante a viagem também não vai ser nenhum drama exagerado, para as meninas com certeza terá alguma variante,
  • Fone de ouvido ‘kids’, sem ser aquele de colocar dentro do ouvido porque incomoda e as vezes é muito grande pro ouvidinho deles, que dá para usar com o entretenimento de bordo,
  • E por fim, claro, o Ipod ou Ipad, já com os filmes prediletos no off line e joguinhos, se for o caso, que é aquele recurso final, salvador da pátria.

Além de usar no aeroporto, no avião, esse kit vai ser útil durante a viagem toda. Nos horários de refeições dos adultos, ou mesmo numa hora que o programa não seja tão interessante para as eles.

3. Respeite os limites da criança

To quase colocando esse como o número 1, de tão importante a meu ver. Respeite seu filho, cada criança é de um jeito. Desde pequeno eles tem seus gostos e vontades próprias, não tem como negar.

dicas de viagens com crianças
Tem horas que eles desmaiam!! Aí montamos uma caminha improvisada no barco mesmo!

Eu sou daquelas que acha que os adultos tem que aproveitar também a viagem, tanto que é o próximo item, hehe.

Mas…tente usar o bom senso, levar uma criança a um restaurante super chique silencioso e ficar lá por horas, não tem criança que aguente, nem o mais tranquilo do mundo.

Não espere que ele vá amar passar a tarde dentro de um museu. Eu entendo que você gostaria que seu filho também gostasse do que você gosta e cultura é muito importante. Sim, mas doses homeopáticas vão bem nesses casos. Se não ele vai acabar odiando museus! E sim eu já me rendi ao celular/Ipad no museu, assim você ganha mais alguns minutos pra aproveitar.

Ah e com certeza, carrinho sempre, item indispensável mesmo quando já forem maiorzinhos.

Disney – Quase um capítulo à parte. Todo mundo quer levar os filhos pra Orlando. E essa é aquela viagem que vira quase uma maratona. São tantos parques que precisam caber em poucos dias, horários, shows, compras, corre de um lado pro outro etc…

Não queira fazer todos os programas da Disney em uma semana. Não force seu filho a ir num brinquedo que ele não queira só porque você acha muito legal. Eu já vi de tudo na Disney viu, criança chorando porque não queria entrar no brinquedo, com medo e os pais insistindo, criança que queria dormir sendo acordada para ver show de fogos.

Expectativa é a palavra aqui, não coloque no seu filho as suas expectativas. Deixe ele curtir aos poucos. Mostre sim o que você acha que vai ser legal que na maioria das vezes ele vai adorar, só lembre-se que ele já é um ser único, independente da idade.

4. Aproveite a viagem

Não esqueça que você está de férias, que merece descansar e se divertir! Sim mãe também tem esse direito, vale lembrar!!

Mesmo que você tenha escolhido um destino que a família vai curtir junta, separe alguns momentos para ter um tempinho livre.

Claro que tudo depente da idade da criança, mas quando for bebê, aproveite o marido para deixar por uma horinha e marque uma massagem no Spa.

Quando ele dormir, coloque no carrinho pra você conseguir jantar com seu marido, ou tomar um café! Eu acho que principalmente quando as crianças são bem pequenas, nós temos uma tendência de esquecer que somos mulheres, esposas, pessoas (somos viu!), além de mães.

5. Alimentação em viagens com crianças

Bom, nem todo mundo pode concordar comigo, pois eu não sou daquelas que se preocupa tanto com alimentação durante a viagem.

Não acho que comer mal por uma semana vai causar algum dano na alimentação da criança. Isso não quer dizer que eu encha de besteiras…

dicas de viagens com crianças
Se virando com uma Robata de frango no restaurante japonês! Tem que criança que come sushi, mas não tive essa sorte…hehe

O Gabriel é bem restritivo para comer, mas com criatividade a gente se vira bem! Vou contar um caso aqui, fui pra Europa quando ele tinha com 1 ano e meio. Eu sempre tive papinha Nestlé em casa pra emergências e levava sempre em viagens rápidas. Quando fomos pra Europa por quase 20 dias meu marido falou “Imagina vai levar um monte de papinha…lá tem Nestlé a gente compra.”

Ledo engano, tem sim papinha Nestlé, mas na Alemanha, que era o caso, os sabores eram completamente diferentes dos potinhos brasileiros, só pelo cheiro ele nem provava. No meio da viagem, acabaram as papinhas que levei e então ele só comia banana. As vezes eu conseguia um restaurante com purê de batata e frango (sem pimenta), o que era a salvação.

Então ele passou uns 10 dias, comendo 2 bananas por dia e tomando 3 mamadeiras de leite. Cheguei a ligar pra pediatra perguntando se ela achava que era um problema. Ela falou, relaxa, continua dando a banana e o leite, compra umas bolachinhas, vai tentando ver o que ele aceita, mas ele não vai ficar doente por comer isso por alguns dias. Chegando ao Brasil você retorna a alimentação normal.

Batatinha frita e frango na piscina…Tá valendo!!

Depois disso fiquei bem mais tranquila e não fico tão tensa se ele não comer. Claro que quando é grande já é outra história fica tudo mais fácil.

6. Kit roupa extra

Depois que passei um apuro no aeroporto de Miami, na época que estava desfraldando. Rodei o aeroporto inteiro e não achei uma roupa. Nunca mais ando sem um kit extra de roupa na mala de mão. Na verdade o ideal seria você carregar uma extra pra você também, mas morro de preguiça. Uma vez levei um banho de leitinho de caixinha no começo da viagem…viajei 8 horas melecada no avião…

Ok essa dica foi das mais óbvias, né. Mas é que esse post tá quase virando um livro.

7. Caixinha de remédios

Quando ele era bem pequeno até uns 3 anos, eu tinha já uma receita da pediatra dele com todos os remédios possíveis para algo que poderia acontecer.

Pra viajar pro exterior, levava antibióticos, antitérmico, gotas pra dor de ouvido, remédio pra enjôo, etc… Porque na emergência fica muito mais fácil, você conversa pelo telefone com a pediatra e ela consegue medicar de acordo com os sintomas. Fora do Brasil é bem complicado comprar remédios, só com receita e aí já viu.

Claro que se for algo mais grave o ideal é procurar um médico no local, pra isso sempre faça o seguro saúde. Mas se for algo simples ter o remédio vai ser uma mão na roda e pode salvar a viagem.

Depois de um tempo parei de levar esse monte de remédio, carrego o mais básico e o que ele toma sempre, somente pra alguma eventual emergência.

8. Viajar sem crianças

Assunto aqui meio polêmico. Na minha opinião, desde que você tenha família ou alguém de confiança que possa ficar com a criança, eu recomendo viajar somente o casal as vezes, quando possível.

É importante demais pro casamento e a criança vai entender…as crianças adoram quando sentem que os pais estão bem. Eles amam ver os pais felizes, e isso com certeza reflete no dia a dia com a família.

Nossa primeira viagem mais longa! Gabriel com 9 meses acho…ficou em casa com a minha irmã.

Eu costumo dividir, algumas viagens em casal, outras viagens com crianças e outras sozinha. O Gabriel desde pequeno acostumou que tem uma mãe viajante e que eu vou sim viajar sozinha algumas vezes.

Ele também ama ficar só com o pai, que faz as bagunças que eu não deixo, super importante pra relação dos dois. (as vezes ele esquece de escovar o dente, mas fiquem tranquilas que a criança vai sobreviver…e vai continuar te amando).

Ah já ia esquecer o mais importante, nada de viajar sem a criança e levar a culpa no lugar! Deixa essa culpa bem longe.

9. Trazer presentes de viagens

Mais um aqui meio polêmico. Eu já aproveitei para consolar que eu ia viajar sozinha para trazer aquele brinquedo que aqui é super caro e já trouxe uma penca de coisas pra ele. Principalmente na época de mercado corporativo que eu costumava viajar pros EUA à trabalho.

Hoje em dia to achando importante não relacionar as minhas viagens com presentes caros para ele. Trago algumas lembranças, dependendo da viagem.

Mas costumo tirar fotos de coisas legais e mandar pra dizer que lembrei dele. Mando recadinhos no celular do pai, da avó ou de quem estiver com ele. E falo quase todos os dias.

E o que mais tem funcionado, agora com quase 7 anos. Pokemon Go!! O que ele mais quer é que eu procure Pokemons diferentes nas viagens. Fica doido quando eu pego um que é raro ou difícil de encontrar aqui. Isso nos deixa ligado a viagem toda e acaba passando mais rápido pra ele. Quando eu chego vemos todos eles juntos, curtindo cada um e mostro onde achei. E pra completar ainda ouvi recentemente: -Mamãe você é a melhor caçadora de pokemons que existe!! 🙂

10. Fotografias nas viagens com crianças

Esse assunto na verdade rende um post inteiro…Mas reflitam sobre a quantidade de tempo passamos tirando fotos. Tirem algumas e aproveitem para curtir! Viver o momento.

Vou relatar um exemplo, há algumas semanas fui numa exposição em São Paulo. Aquela do Castelo Rá-tim-bum. Uma mãe passou o tempo todo pedindo a filha de aproximadamente 5 anos para posar pra foto. Na hora que a criança ia observar melhor alguma coisa, ela dizia mais uma, olha aqui, dá um sorriso e a menina passou o tempo todo fazendo pose.

Pra não dizer que estou mentindo….

Nessa exposição todas as pessoas andavam com o celular na mão tirando foto ou filmando. Acho que viramos escravos desses aparelhinhos mesmo sem pereceber. E no final não entendo de que adianta, acabamos tendo 3 mil fotos no celular, sendo que só meia dúzia estão boas. Que tal tirar uma foto da criança numa hora que realmente de tempo para isso e o resto esteja ali presente!! Aproveite para curtir também.

Termino o post com essa reflexão, que nos dias de hoje tem me incomodado muito. Desejo que façam muitas viagens com crianças! Outras sem as crianças e também sem a culpa. E aproveitem intensamente cada momento!! 🙂

Esse post faz parte de uma blogagem coletiva de dia das mães dos Blogs experts em viagens com filhos! Conheça também outros Blogs especialistas e veja as dicas dessa turma de mamães viajantes!

1- Viagens que Sonhamos
2- Andreza Dica e Indica
3- Por aí com os Pires
4- Felipe, o pequeno viajante
5- Vamos Por Aí
6- Viajar hei
7- Ases a Bordo
8- Vem pro Parque!
9- Bebe Piccolo
10- Viajo com Filhos
11- MEL a Mil Pelo Mundo
12- Malas & malinhas
13- Cantinho de Ná
14. Diário de Viagem
15. Trilhas e Cantos
16- Viagem Simplesmente
17- Viajando de Carro
18 – Do RS para o Mundo
19 – Viagens de Mãe
20 – Cris pelo Mundo
21 – Ninho de Jiripoca
22 – Blog Viaje pelo Mundo
23 – Carregando Malinhas
24 – Viajando por Aí
25 – Espelho de Si
26 – De Primeira Viagem
27 – Viajando em Familia
28 – Ferinhas Viajantes
29 – Pequenos pelo Mundo
30 – Passeiorama
31 – Gosto e Pronto
32 – Entre Mochilas e Malinhas
33- Roteiro Renatours
34. Vou Viajar
35. Família Viagem
36- Viajar e Brincar
37- Viajante em Tempo Integral

PARCEIROS




Generic 728x90
Booking.com

COMPARTILHAR
Post anteriorAtrações imperdíveis em Barcelona!
Administradora e mãe do Gabriel de 6 anos, trabalhou por 15 anos em marketing em instituições financeiras. Buscando unir duas de suas paixões, viagens e fotografia, criou o blog Viagem em Detalhes. Acredita que viagens criam lembranças preciosas, ampliam horizontes e reforçam laços de afeto.

20 COMENTÁRIOS

  1. oi Renata
    Super concordo com você e muito válida sua reflexão sobre o excesso de fotos x aproveitar o tempo juntos. Temos mesmo que tomar cuidado com isso.
    Outro item super relevante é a questão de respeitar os limites da criança. Sem dúvida a viagem vai ter outro clima se os pequenos tiverem seus momentos de sono e alimentação respeitados.
    Bjks
    Adriana

  2. Jura que com 9 meses você já deixou ele sozinho para viajar?
    Eu ainda sofro com isso hahahahaha

    Nosso primeira viagem solo, Dodô tinha mais de 2 anos. Eu fiquei doente na viagem e ele aqui.
    Ficamos um tempo sem viajar sozinhos. Ano passamos que retomamos e graças a Deus foi tranqüilo.
    Feliz dias das mães!

    • Hehehe!!! Eu confesso que foi bem sofrido, eu via ele pelo skype e chorava. Ficava vendo fotinho e chorava…
      Mas sobrevivemos, eu e ele. E acho que ele já cresceu acostumado, porque depois fui várias vezes a trabalho.
      Mas eu sabia que ele tava super bem com minha irmã e minha mãe, isso também faz a maior diferença, né!

      Beijos! Ótimo dia das mães pra você também!

  3. A primeira coisa que pensei ao sentar para escrever meu post foi exatamente teu primeiro parágrafo – se conselho fosse bom, eu vendia heheheheh…mas, afinal, é o que a gente mais faz nos blogs, né? E de graça!

  4. Adorei o post! Nós seguimos aqui algumas dessas dicas, como o kit de entretenimento. Aqui a gente faz uma mochilinha de surpresas e a Carol adora surpresas! E até hoje ainda montamos uma farmacinha para as viagens ao exterior. Beijos e Feliz Dia Das Mães!

  5. Olha só, essa parte de fazê-los participar do planejamento da viagem é super importante. Muito bom poder contar com a opinião deles. Feliz Dia das Mães. Um bj

  6. Muito bom, Renata! Quanto as fotos, passei por uma situação parecida: em Gramado, num show maravilhoso do Natal Luz, tinha um casal com um menininho na nossa frente que não assistia nada, só ficava fazendo selfies deles mesmos, inclusive incomodando pessoas em volta, pedindo pra elas tirarem fotos. Enquanto meus filhos quase choravam de emoção, o filho deles nem viu nada… uma tristeza. Ah, e meu filho também já passou uma semana a base de uma fruta ou outra e leite, com certeza sobrevivem!

  7. Excelentes dicas! Aqui ainda não conseguimos viajar só nós 2, mas qq dia da certo! Sobre o excesso de fotos, meu marido é meio exagerado e a pequena muitas vezes reclama, temos q nos cuidar mesmo! Abraços e feliz dia das mães!

  8. Renata, sou maníaca por fotos, mas tenho me contido e buscado aproveitar a viagem. E já estou começando a curtir locais em que é proibido tirar fotos, pq só assim a gente se entrega ao que está vendo. Parabéns pelo post e pelo blog.

  9. Ótimas dicas Renata. Também sou daquelas que visita o pediatra e viaja com remédio para todas as situações, quando se tratar de viagens internacionais. E o kit para distrair as crianças também é requisito fundamental. Bjs

  10. Rê, a dica de viajar sem os filhos de vez em quando é a melhor… demorei para fazer isso aqui, eles já estavam com 7 e 10 anos… sofremos todos na primeira, mas depois acostumamos e sentimos falta, o casal precisa passar um tempo juntos, faz um bem danado. E obrigada pelo puxão de orelha do final ! rsrsrs Estive lá no Museu da Imaginação e eu parecia uma louca com a máq em uma mão e o cel em outra. Acabei de me dar conta, ao ler seu post, que não curti nada por lá! Nota zero pra mim! Na próxima vou lembrar de você, juro. Obrigada! Bjs, adorei seu texto.

    • Obrigada!! Ah não tem certo nem errado né. Não tem como a gente forçar se não estamos preparados, quem sabe em algum momento. Bjos Renata

Deixe uma resposta

Deixe sue comentário
Preencha seu nome